Na mesa de abertura, a presidente da ANADEF, Michelle Leite, reforçou o impacto desse tipo de crime e o cuidado que os defensores devem ter ao tratar de condições precárias de trabalho. Ela estava acompanhada do Subdefensor Público-Geral Federal, Edson Rodrigues Marques, do Diretor-Geral da Escola Superior da DPU, Fernando Mauro Barbosa de Oliveira Junior, do Secretário-Geral de Articulação Institucional, Francisco de Assis Nascimento Nóbrega do Coordenador do GPTEC da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), professor Ricardo Rezende Figueira e da Coordenadora do GT Erradicação do Trabalho Escravo, Fabiana Galera Severo.