Imprimir
PDF

ANADEF apresenta petição de ingresso como amicus curiae no STF

Escrito por Imprensa em .

Em face do agravamento da crise do sistema prisional brasileiro, em que se proliferam os massacres de apenados em presídios pelo país, a Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais - ANADEF protocolizou petição perante o Supremo Tribunal Federal requerendo seu ingresso como amicus curiae nos autos da Reclamação 26111. O pedido de ingresso da ANADEF tem por objetivo a participação da entidade em todos os atos e momentos processuais relacionados à Reclamação 26111, considerando ser matéria diretamente relacionada à atuação institucional dos defensores públicos federais . Ajuizada pelo Defensor Público Federal João Thomas Luchsinger, a Reclamação 26111 pretende que as autoridades responsáveis em Manaus cumpram decisões do próprio STF relativas a direitos humanos e constitucionais dos presos.

Sabe-se que há apenados cumprindo, atualmente, regime mais severo do que aquele determinado em processo, assim como presos e presas cujas penas já foram cumpridas e, ainda assim, permanecem em privados de sua liberdade. Além disso, o elevado número de presos e presas provisoriamente, quando a legislação estabelece medidas alternativas à prisão, e a morosidade na tramitação judicial dos processos são fatores que contribuem para o agravamento da superlotação dos estabelecimentos prisionais. A ANADEF, na qualidade de amicus curiae, pretende contribuir com o debate instalado perante o Pretório Excelso, propugnando pelo cumprimento da Súmula Vinculante 56, que consolida o entendimento da Corte no sentido de não autorizar a manutenção do condenado em regime prisional mais gravoso. Por fim, ressalta-se que todos presos definitivos ou provisórios devem ter preservados os direitos dispostos na Constituição Federal, na Lei de Execução Penal e nos tratados e convenções internacionais dos quais o Brasil é signatário, assim como devem ter garantidas políticas públicas que promovam sua ressocialização e retorno ao convívio social.

Confira a Petição na íntegra: 
pdf download3